Sergat: Agencia de comunicación especializada en turismo

A PLAY apresenta as celebrações mais singulares da Islândia

Comer pãezinhos e carne salgada como se não houvesse amanhã, cantar por guloseimas ou pendurar sacos de cinzas nas costas de estranhos: a questão não é porquê, mas porque não

 

Portugal, 18 de fevereiro 2022 – A PLAY, a companhia aérea islandesa de baixo custo, reúne os eventos mais originais do calendário islandês. Os habitantes locais celebram um número invulgar de feriados. Naturalmente, existem os tradicionais, como o Dia da Independência, a 17 de junho, e o Dia do Trabalho, a 1 de maio. No entanto, a nação insular é também o lar de outros feriados que, ao contrário dos acima mencionados, exigem uma carta de apresentação.

Dia da Mulher, 18 a 24 de fevereiro

O Dia da Mulher marca o fim do mês Þorri e o início do antigo mês Viking Góa. Este último foi tradicionalmente recebido pela mulher da casa na noite anterior, que saía e recebia Góa, pedindo-lhe para ser bom. Esta era uma forma folclórica de esperar por uma primavera amena e, provavelmente, associou-se às mulheres uma vez que a maioria dos homens pescava nesta época do ano.

Esta festividade é são um dos muito testemunhos do clima duro e imprevisível da Islândia e uma lembrança das dificuldades sofridas pelos islandeses nos dias em que Þorri e Góa eram os meses mais difíceis do ano, pois a comida era escassa no final de um longo Inverno. Não é, pois, coincidência que o peixe fermentado e o aspic de carne sejam hoje as suas iguarias.

Dia do Bolo, a segunda-feira antes de Quarta-feira de Cinzas

Para alguns, o melhor dia do ano; para os que estão de dieta, nem por isso. Seja como for, é sem dúvida a maior ingestão coletiva de calorias na pequena nação insular. O Dia do Bolo é feito para comer bolos com creme com compota e cobertos com chocolate. Não há escapatória, estão em todo o lado: em escolas, escritórios, ginásios, casas e restaurantes. Aqui vai uma dica: saltar o pequeno-almoço.

Dia da Explosão, a terça-feira antes de Quarta-feira de Cinzas

Tique.taque, tique-taque. Sim, o dia depois do Dia do Bolo chama-se Sprengidagur em islandês, que se traduz literalmente como o Dia da Explosão. Para a maioria, alude à sensação de estar explosivamente cheio após comer uma quantidade indecente de carne salgada. Os islandeses geralmente assumem a palavra «explosivo» literalmente, pois são incapazes de resistir a um banquete. Os viajantes devem provavelmente deixar-se levar, já que a Quaresma começa no dia seguinte: o buffet tradicional inclui carnes salgadas ricas e é sempre acompanhado por feijão.

Quarta-feira de Cinzas, primeiro dia da Quaresma

A Quarta-feira de Cinzas é conhecida pelos católicos de todo o mundo como o primeiro dia da Quaresma. Na Islândia, contudo, não é celebrada como se poderia imaginar. Este dia é principalmente para as crianças, que se vestem com fatos e andam pelas lojas locais a pedir doces. Normalmente preparam primeiro uma dança na escola e aparecem nos seus trajes antes de saírem à procura de doces. Parece o Halloween? Nem por isso. Têm de ganhar os doces a cantar uma canção à sua escolha. Não há doces sem uma canção.

Outra tradição neste dia é pendurar pequenos sacos de cinzas coloridas nas costas de estranhos insuspeitos. Isto requer um certo grau de preparação e, embora esta tradição tenha sido relativamente esquecida nas últimas décadas, algumas pessoas ainda andam por aí com pequenos sacos coloridos com fios nos dias que antecedem a Quarta-feira de Cinzas. A teoria por detrás disto é que antigamente as pessoas levavam os sacos da igreja e guardavam-nos para boa sorte.

Dia da Cerveja, 1 de março

Muitos ficarão surpreendidos ao saber que a cerveja foi banida na Islândia até 1989. Não só era ilegal, como também era considerado antipatriótico devido à sua associação com a Dinamarca, com a qual os laços foram completamente cortados em 1944. A 1 de março de 1989, após 74 anos, a proibição chegou ao fim e nasceu o Bjórdagur, o Dia da Cerveja. Há muito tempo que os islandeses fabricavam cerveja em casa. Hoje, goza de grande popularidade no país e há muitos eventos dedicados a esta bebida alcoólica. Com uma Thule ou uma Gull na mão, os viajantes podem descobrir o lado mais animado da Islândia. Skál!

Jónsmessa, o solstício do Verão islandês, a 24 de junho

Junho é um mês ideal para viajar para a Islândia, pois a escuridão dos meses de Inverno desaparece para proporcionar exatamente o contrário: quase 24 horas de sol por dia. A chegada do Verão é celebrada a 24 de junho e, no passado, acreditava-se que nessa noite ocorriam fenómenos paranormais, tais como vacas a falar ou focas a transformarem-se em humanos. Uma tradição curiosa neste dia, por assim dizer, é rebolar nu na relva e fazer um desejo. Dizem que se torna realidade e que tem propriedades curativas, então porque não tentar?

Chegada do primeiro Yule Lad (Stekkjastaur), 12 de dezembro

Por esta altura, alguém pensava que o Natal na Islândia ia ser como o resto da Europa? A Islândia não se contenta com um Pai Natal, mas prefere ter treze, também conhecidos como duendes do Yule. Não fazem as coisas por menos. O Natal é inaugurado com a chegada do primeiro deles, a 12 de dezembro, na sua descida das montanhas. Desde então e até à véspera de Natal, as crianças recebem pequenos presentes todos os dias, dependendo do carácter de cada duende, cuja imagem tem melhorado ao longo dos anos. Mas cuidado, porque aqueles que não se portaram bem, em vez de presentes, recebem uma batata podre!

A PLAY iniciará as operações entre Lisboa e Reiquiavique no próximo mês de maio. A nova rota, operada com um Airbus A320, entrará em serviço a 13 de maio e permanecerá aberta até ao final da temporada, a 28 de outubro.

Para mais informações ou para reservar voos, visite: https://www.flyplay.com/

DOWNLOAD DOC

DOWNLOAD PHOTO